quinta-feira, setembro 16, 2021

Auxílio emergencial: Calendário de prorrogação divulgado até outubro

O auxílio emergencial é um dos principais programas sociais criados no Brasil, desde 2020. Até porque, o mesmo é destinado para pessoas que foram afetadas por conta da pandemia do Covid-19. E apesar do imenso sucesso que teve no último ano, o retorno do projeto para 2021 foi muito contestado. Até porque, os enormes rombos gerados nos cofres públicos dificultaram isso.

E mesmo assim, o Governo Federal anunciou que o bolsa família seria pago apenas por mais quatro meses. Entretanto, já que a vacinação ainda está devagar, se viram obrigados a prorrogar os pagamentos por mais meses. E então, a entidade federal divulgou nesta semana o calendário oficial das próximas parcelas do auxílio emergencial, para quem recebe o Bolsa Família.

Calendário do auxílio emergencial para quem recebe o Bolsa Família

Vale a pena lembrar que o calendário do auxílio emergencial para quem recebe o Bolsa Família é diferente de quem não é beneficiário do projeto. Este segundo ainda não foi divulgado. De qualquer forma, confirma as datas que foram lançadas. Siga:

auxílio emergencial
Auxílio emergencial: Calendário de prorrogação divulgado até outubro

  1. Primeiramente, quem tem NIS terminado em 1 receberá em 18/08, 17/09 e 18/10
  2. Posteriormente, NIS encerrado em 2 receberá em 19/08, 20/09 e 19/10
  3. NIS terminado em 3 receberá em 20/08, 21/09 e 20/10
  4. Quem tem o NIS encerrado em 4 receberá em 23/08, 22/09 e 21/10
  5. NIS terminado em 5 receberá em 24/08, 23/09 e 22/10
  6. Quem tem o NIS encerrado em 6 receberá em 25/08, 24/09 e 25/10
  7. Para quem tem o NIS terminado em 7 receberá em 26/08, 27/09 e 26/10
  8. O NIS encerrado em 8 receberá o auxílio emergencial em 27/08, 28/09 e 27/10
  9. Para quem tem o NIS terminado em 9 receberá em 30/08, 29/09 e 28/10
  10. E por fim, o NIS encerrado em 0 receberá em 31/08, 30/09 e 29/10

Valores pagos no auxílio emergencial

Em 2020, o valor pago no auxílio emergencial era de R$ 600,00, para todos os seus beneficiários. E foi exatamente este valor que prejudicou os cofres públicos do Brasil para 2021. Com isso, o Governo Federal teve que abaixar os mesmos, e criar três grupos diferentes.

O primeiro deles era de R$ 150,00, destinado exclusivamente para quem morava sozinho. Disso, o segundo, de R$ 250,00, era para aqueles que possuíam ao menos um dependente em seu núcleo familiar. E por fim, o terceiro grupo, de R$ 375,00, foi criado para mulheres que são consideradas chefes de família.

Mais programas sociais

Além do auxílio emergencial, existem muitos outros programas sociais que foram criados pelo Governo Federal. Neste tempo de pandemia, contamos com o retorno do Benefício Emergencial (BEm), e da antecipação do 13º salário do INSS. Além disso, para empresas, o PRONAMPE, que concede linhas de crédito a mesma, além do Programa Brasil Mais, também foram criados.

E por fim, temos a reforma do Bolsa Família, que deverá acontecer já para 2022. Nesta, o presidente da república, Jair Bolsonaro, já demonstrou seu interesse em aumentar o valor do pagamento do benefício. No caso, atualmente, são pagas parcelas de R$ 192,00, que passariam a ser de R$ 300,00.

Pedro Henrique
Pedro Henrique Rhormes é formado em Comunicação Social – Jornalismo, pela Universidade Nove de Julho, e Letras – Tradução e Interpretação, pela Faculdades Metropolitanas Unidas (FMU). Trabalhou como repórter no FOX Sports. Atualmente é editor do E.C. produzindo conteúdo sobre economia e direitos.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

NOTÍCIAS RELACIONADAS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui