sábado, julho 24, 2021

Documentos do FIES não precisam ser apresentados fisicamente

O Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior (FIES) é o principal programa de financiamento estudantil do país. O mesmo é responsável por ajudar brasileiros a conseguirem ingressar em instituições de ensino superior particular no Brasil. Por conta da pandemia do Covid-19, muitos procedimentos em relação a este projeto acabaram sofrendo algumas modificações.

Como por exemplo, o da entrega de documentos necessários para firmar o contrato, e também, para se matricular nas universidades. Neste artigo, estaremos falando um pouco mais sobre o programa, e também, suas mudanças mais recentes. Desde que claro, tenha interesse em participar do mesmo.

Mudanças no FIES

Anunciado na última segunda-feira (26 de abril), pelo Ministério da Educação (MEC), a partir de agora, estudantes estão dispensados de fazer a entrega física de alguns documentos. Estes claro, em agências bancárias que foram indicadas pelos mesmos, independentemente de qual tipo de contratação, seja para aditamentos ou para adquirir o financiamento.

Os documentos listados foram o Documento de Regularidade de Inscrição (DRI), o Documento de Regularidade de Matrícula (DRM), o Documento de Regularidade de Matrícula Suspensão, o Documento de Regularidade de Transferência (DRT) e o Documento de Regularidade de Dilatação (DRD).

Continue lendo: SISU 2021: Já começou a inscrição na lista de espera, confira as datas

Tudo isso com um motivo específico. O de proteger não apenas os estudantes, mas como também os funcionários das agências bancárias. Até porque, estamos em uma das maiores pandemias globais da história, por conta do Covid-19. E disso, o MEC está evitando a qualquer custo aglomerações. A partir de agora, qualquer entrega de documento poderá ser feita de maneira totalmente digital. Seja por meio do site do FIES, ou até mesmo pelo site da universidade no qual o aluno deseja ingressar. Isso claro, considerando que o mesmo já tenha sido aprovado na análise, e que esteja elegível a participar do programa de financiamento. Basta se consultar a respeito de quais documentos entregar.

Como funciona o FIES

Para quem tem dúvidas de como o FIES funciona, na verdade, o programa é bastante simples. Ele é destinado exclusivamente para instituições de ensino superior particulares. Ou seja, tem que ser uma universidade que possua matrícula e mensalidade. Disso, o projeto poderá financiar seu curso de maneira integral, ou até 50%.

E o melhor de tudo é que você só começará a pagar as parcelas que foram acertadas em seu contrato após a conclusão e obtenção de seu diploma. Lembrando que as taxas e juros variam muito de cada perfil. Portanto, não deixe de verificar tais condições.

Leia mais: Documentos SISU: Confira quais são necessários para realizar a matrícula

Número de vagas

Apesar da pandemia do Covid-19, que atrasou e muito o calendário do Ministério da Educação, e botou em risco o retorno às salas de aula, a maioria das universidades já estão ativas novamente. E com isso, o FIES é ofertado para cerca de 93 mil vagas, neste primeiro semestre de 2021. Destas, já foram preenchidas 40 mil vagas em mais de 24.844 cursos, em 1.461 instituições diferentes.

Portanto, estamos chegando na metade do cumprimento das vagas totais. A respeito do segundo semestre do ano, ainda não foram divulgadas quais serão os números disponibilizados. Entretanto, muito provavelmente o MEC gostaria que o mesmo ultrapassasse os 200 mil. Mas claro, isso dependerá de muitos fatores. Principalmente de como estaremos meio a pandemia.

Pedro Henrique
Pedro Henrique Rhormes é formado em Comunicação Social – Jornalismo, pela Universidade Nove de Julho, e Letras – Tradução e Interpretação, pela Faculdades Metropolitanas Unidas (FMU). Trabalhou como repórter no FOX Sports. Atualmente é editor do E.C. produzindo conteúdo sobre economia e direitos.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

NOTÍCIAS RELACIONADAS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui