segunda-feira, outubro 25, 2021

Fim do auxílio emergencial: Saiba quantas parcelas ainda restam

O auxílio emergencial é um dos principais programas sociais pagos no Brasil. O mesmo foi criado ainda em 2020, no ano passado, por conta da pandemia do Covid-19. Isso porque, muitos brasileiros estavam sofrendo com a crise gerada pelo vírus. E disso, se tornou extremamente necessário a criação de um projeto que pudesse amparar financeiramente a população.

E depois de um imenso sucesso, o programa social retornou para 2021. Entretanto, com algumas mudanças muito importantes, principalmente no valor a ser pago e também a quantidade de parcelas. Estas que já foram definidas, simbolizando o fim próximo do benefício.

Auxílio emergencial terá fim em breve

O auxílio emergencial de 2021 era para ter sido pago em apenas quatro parcelas, originalmente. Estas iriam de abril até julho, apenas, e depois, o auxílio emergencial se encerraria. Entretanto, o Governo Federal viu necessidade de prorrogar os pagamentos em mais três meses. Até porque, na época da decisão, o quadro da vacinação do Brasil estava muito lento.

auxílio emergencial
Fim do auxílio emergencial: Saiba quantas parcelas ainda restam ser pagas

E disso, o governo ficou com medo de liberar a população brasileira para suas atividades do dia a dia, novamente, sem que recebessem a imunização completa. Agora, os pagamentos devem ir até outubro, apenas, e disso, não mais ser renovado.

Valor do auxílio emergencial

Em 2020, o auxílio emergencial foi pago para os beneficiários na casa dos R$ 600,00, em cada parcela. Entretanto, para 2021, este número foi modificado. Principalmente porque se tornou insustentável aos cofres públicos mantendo a mesma quantia. Com isso, o Governo Federal teve a ideia de criar três grupos diferentes de pagamento.

O primeiro deles na casa dos R$ 150,00, para quem mora sozinho. Já o segundo, de R$ 250,00, é destinado exclusivamente para quem tem pelo menos um dependente em seu núcleo familiar. E por fim, temos a quantidade de R$ 375,00, para mães chefes de família.

Novos cadastros não são aceitos

Para a edição deste ano, o auxílio emergencial não aceitou novos cadastros em seu sistema. Isso porque, em 2020, tivemos mais de 60 milhões de participantes. E destes, muitos foram casos de recebimentos fraudulentos e indevidos. Que tiveram até mesmo que devolver as quantias que receberam do Governo Federal. E para 2021, para evitar isso, o Dataprev tem analisado, até hoje, os perfis de todos os participantes. Ao todo, mais de 20 milhões de brasileiros já foram excluídos da edição atual do governo. E alguns entraram até mesmo com o pedido da contestação.

E isso porque não se encaixam nos requerimentos listados pelo governo. Como por exemplo, o primeiro deles é não ter uma renda familiar mensal superior a três salários mínimos. Quem está aqui já pode ser considerado automaticamente excluído. Disso, não é liberado também que tenha um emprego registrado em carteira, sob regime das Consolidações das Leis do Trabalho (CLT). Até porque, o programa social foi feito para quem está desempregado ou que é um trabalhador freelance. E por fim, não pode receber nenhum outro benefício do Governo Federal. A única exceção aqui é o Bolsa Família, que é considerado vital para a sobrevivência da população brasileira e dos beneficiários.

Pedro Henrique
Pedro Henrique Rhormes é formado em Comunicação Social – Jornalismo, pela Universidade Nove de Julho, e Letras – Tradução e Interpretação, pela Faculdades Metropolitanas Unidas (FMU). Trabalhou como repórter no FOX Sports. Atualmente é editor do E.C. produzindo conteúdo sobre economia e direitos.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

NOTÍCIAS RELACIONADAS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui