quinta-feira, setembro 16, 2021

Reforma do Imposto de Renda: Confira novas alíquotas aprovadas

O imposto de renda é uma movimentação obrigatória no país, para muitas pessoas, durante todos os anos. Neste ano, a declaração da mesma foi prorrogada por quase dois meses, por conta da pandemia do Covid-19. E agora, a expectativa é a de que o Governo Federal consiga efetuar uma reforma no imposto de renda atual, propondo grandes mudanças.

Estas inclusive já foram julgadas e aprovada na Câmara dos Deputados, ainda nesta semana. Mas, fique tranquilo, pois neste artigo estaremos falando mais a respeito deste assunto. Principalmente com o que deve ser mudado no IR, e como isso afetará a população brasileira.

Mudanças no imposto de renda

As principais mudanças no imposto de renda são todas referentes a alíquota do imposto de renda 2022. Abaixo, estaremos divulgando todos os dados que foram informados pela Receita Federal sobre o assunto. Confira:

imposto de renda
Reforma do Imposto de Renda: Confira novas alíquotas aprovadas

  1. Primeiramente, a Faixa 1 está isenta de alíquotas. Em 2021 a mesma era até R$ 1.903,98, e agora, ficará até R$ 2.500,00
  2. Posteriormente, a Faixa 2 tem a alíquota de 7,50%. Em 2021, a quantia era de R$ 1.903,99, e agora passará a ser de R$ 2.500,01
  3. Já a Faixa 3 do imposto de renda, tem a alíquota de 15%. Disso, em 2021, a quantia mínima era de R$ 2.826,66, e agora, será de R$ 3.200,01, em 2022
  4. Então, temos a Faixa 4, com uma alíquota de 22,50%. Em 2021, a quantia era de R$ 3.751,06, e agora passará a ser de R$ 4.250,01
  5. E por fim, temos a Faixa 5, que terá uma alíquota de 27,50%. Neste caso, em 2021, a quantia era para valores acima do R$ 4.664,68, e agora, será considerado somente para valores que estejam acima dos R$ 5.300,01. Lembrando que tais mudanças já serão aplicadas para a edição de 2022, de maneira automática.

Mais dados sobre o imposto de renda

Vale a pena lembrar que esta mudança que está sendo promovida pelo Governo Federal é para elevar a faixa de isenção. Ou seja, aqueles que têm ganho mensais livres de imposto de renda. Disso, o valor subirá aproximadamente R$ 600,00, o que resulta em uma correção de 31%.

Disso, mais de 5,6 milhões de contribuintes passarão a ser considerados isentos, e deste modo, não precisarão mais pagar nenhum tributo para a Receita Federal. E deste modo, o número total de isenções subiria dos 10,7 milhões para 16,3 milhões de brasileiros. Os demais teriam um desconto menor no contracheque, com uma proporção 13% menor do que o modelo atual.

Prazos deverão ser mantidos

Vale a pena lembrar que os prazos para efetuar a declaração do imposto de renda, a princípio, não foram modificados. Portanto, podemos concluir que os mesmos prazos deverão ser mantidos como de costume. Ou seja, o prazo para declaração deverá abrir em 1º de março, e se encerrar em 30 de abril.

Caso haja necessidade de efetuar uma prorrogação, o Governo Federal e a Receita Federal avisarão a todos. Conforme foi feito neste ano, por exemplo, por conta da pandemia do Covid-19, no qual a declaração foi jogada para o fim de maio.

Pedro Henrique
Pedro Henrique Rhormes é formado em Comunicação Social – Jornalismo, pela Universidade Nove de Julho, e Letras – Tradução e Interpretação, pela Faculdades Metropolitanas Unidas (FMU). Trabalhou como repórter no FOX Sports. Atualmente é editor do E.C. produzindo conteúdo sobre economia e direitos.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

NOTÍCIAS RELACIONADAS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui